segunda-feira , 18 dezembro 2017
yescom – meia sp 2018

Publicidade

Ínicio / Blog do Colucci / Colucci / #Ano40 / Maratona do Rio 2015

Maratona do Rio 2015

Logo após a chegada #MaratonaDoRio2015

Quarta-feira, 29 de Julho de 2015 

No último domingo, o Rio de Janeiro foi palco de uma das maiores corridas do Brasil com 26.000 inscritos nas três distâncias oferecidas, a Maratona com seus 42km 195 metros e não de 15km como a São Silvestre, Meia Maratona com seus 21.097 metros e a corrida de 6 km lá batizada de Family Run.

Entre as maratonas brasileiras, é a que concentra o maior número de concluintes, esse ano com mais de 5.000 corredores sendo mais de 1.000 mulheres, um número muito expressivo que se explica pela organização da prova e pelo percurso que dispensa maiores explicações.


A meia maratona é a mais concorrida do Brasil e suas mais de 15.000 vagas esgotam em um piscar de olhos.

Se você pretende correr em 2016, as inscrições já estão abertas e esgotam rapidamente, faltam exatos 10 meses para a realização da prova que será dia 29 de maio de 2016 antecipando o já tradicional mês de julho em virtude da realização da Olimpíada Rio 2016. É tempo suficiente para uma boa preparação, com planejamento e treino a prova tem tudo para ser inesquecível. www.maratonadorio.com.br

Para a entrega dos kits de participação(número de peito, chip descartável, camiseta, boné, sacola e brinde dos patrocinadores) foi montada uma feira, a Rio Run Market, com diversos expositores e lojas de produtos para corrida, além de palestras e muita interatividade para os participantes. A feira foi realizada em um espaço amplo e bem localizado, com transporte fácil que facilitou a vida dos corredores inscritos, 65% não moradores do Rio de Janeiro.

No sábado a fila para entrega dos kits estava grande, mas não gerou desconforto e nem grandes reclamações. 

A Maratona do Rio atravessa a cidade inteira pela orla saindo do Recreio dos Bandeirantes e chegando no Aterro do Flamengo e a organização disponibiliza ônibus da chegada para a largada a partir das 05:00 da manhã, é uma viagem noturna, sem trânsito e demorada(quase ou mais de 01 hora) que deixa no ar aquela pergunta: O que que eu estou fazendo aqui? Vou ter que voltar correndo???

Na largada, no Recreio, um local bonito e muito espaçoso com muitos banheiros químicos e a energia boa dos corredores na expectativa para ouvir a buzina e voltar correndo para o Aterro, é nítida a expressão de medo e receio dos iniciantes na distância e a preocupação de todos para os últimos detalhes, desde a arrumação do número/chip, ligar os GPS, ajeitar os géis, hidratar, ajustar fones e toda a parafernália imaginável antes de despachar o que não será utilizado nos ônibus guarda-volumes, que funcionam de forma perfeita com staffs contentes e ágeis.

Corrida não é brincadeira, e maratona tem um requinte especial, é a rainha das distâncias, é a que deixa marcas, marcas boas e marcas dolorosas, até para os mais experientes corredores. Ela deve ser respeitada e admirada. É a SENHORA das corridas. 

Esse ano eu fui para o Rio de Janeiro com o horário bem apertado, cheguei na cidade maravilhosa no início da tarde de sábado, perdi as palestras da feira Rio Run Market e no domingo tinha que voltar voando para São Paulo, um fator a mais para me preocupar durante o percurso, qualquer problema por menor que fosse, eu estava pronto para abandonar a prova e voltar para casa. Seria uma corrida contra o tempo. 

Comecei 2015 pensando nessa prova, era o alvo, porém, o meu resultado na gélida maratona de São Paulo em 17 de maio foi péssimo, além da febre, gripe e um mês parado, voltar ao mesmo ritmo não seria uma missão das mais simples, o que me fez mudar todo e qualquer plano e o objetivo era apenas de completar a maratona da melhor forma possível dentro de no máximo 4 horas. 

Fui para a largada com os amigos que tinham metas e planos para o percurso, eu não queria acompanhar ninguém para não atrapalhar os planos deles ou estragar minha prova sem planejamento específico e faltando 5 minutos para o início surgiu a ideia de largar por último, atrás de toda a corrida mesmo sabendo que os 3 primeiros kms são corridos em ruas apertadas em ida e volta, você larga vendo os mais rápidos já voltando e só após o km 3 a prova passa ao lado da largada e segue bem em pista larga até a chegada.

Me posicionei a frente do pórtico da largada, do lado de fora da corrida e registrei a largada com mais de 5.000 corredores, largada que demorou quase 10 minutos até o momento que o locutor avisou que seria encerrada a largada, acelerei para passar a tempo no tapete de cronometragem, tapete esse que foi chutado e um corredor caiu, levantou e seguiu deixando o tapete virado por alguns minutos. Foi tão rápido que só dá para ver a queda em câmera lenta no minuto 3:13.

Confira abaixo o vídeo da largada e encontre-se.
Alguém conhece o corredor que caiu?

 
O vídeo foi filmado com a GoPro Hero 4 que me acompanhou por todo o percurso onde registrei imagens incríveis, logo mais uma seleção especial em Fb.com/BlogeRun
Parti 10 minutos atrás de todo mundo e fui desviando como deu, até o km 5 a maior parte do caminho fui pelas calçadas fotografando a prova por um ângulo diferente de todas as outras que já corri, o melhor de tudo era conseguir manter um ritmo constante que se nenhum problema acontecesse me levaria até o final com um tempo espetacular.
A hidratação na Maratona do Rio é algo para ser aplaudido, vão falar que o sol não apareceu, mas o clima estava quente e eu tinha largado 10 minutos atrás do pelotão principal e em todos os postos de água e de gatorade tinha quantidade suficiente para hidratar um exército de camelos e com temperatura fresca ou gelada. Os postos de gatorade estavam a cada 5km e eram entregues em saquinhos(sacolés/chup-chup) o que facilita MUITO o consumo e evita desperdícios e nojeiras, ninguém fica grudado, nem o chão e nem o corredor.A água Minalba aparecia nos intervalos do gatorade em copinhos de 300ml, perfeitos para beber e ainda jogar um pouco na cabeça.
Enchi o tanque em todos os postos e no km 38 pude ajudar uma maratonista que corria descalça, ela queria um copo de água e eu tinha um na mão. 
Levei dois sachês de gel e tomei um no km 14 e outro no km 30(acho, era para ser no 28 mas esqueci). 
No km 30, no fim da descida pós Niemeyer vi que tinha alguma coisa sendo distribuída no lado esquerdo da pista, não sei se era fruta e bolacha, ou só fruta, passei tão bem e tão ritmado seguindo o Zé Noia que nem prestei atenção. Faltavam 12km e se tudo continuasse fluindo bem, em 01 hora eu estaria recebendo uma medalha mais que especial.
Esses 12 kms finais evitei olhar para os corredores que eu ia ultrapassando, é a parte critica da prova e eu mesmo tenho péssimas experiências e lembranças nesse ponto que é mais movimentado, onde famílias inteiras estão apoiando os corredores em Copacabana, também não registrei muitas fotos porque a bateria da câmera estava já sem “tracinhos no visor” e eu queria registrar a chegada.
Como eu postei na semana anterior da prova, essa maratona seria meu primeiro treino para a Maratona do Rio 2016, não adiantava tentar bater recorde, precisava completar a prova que iniciei em 2014 e fui obrigado a abandonar com dores no joelho(Eu não conhecia o Advil e seus genéricos ainda), e esse treino foi perfeito, foi ritmado, só não cravei o ritmo exato por conta das subidas do túnel do Joá e da Niemeyer onde administrei o passo e alguns minutinhos foram adicionados ao tempo final.
Minhas passagens a cada 10kms foram de 50’04”; 50’09”; 52’52”; 50’38” e os últimos 2.195 em 11’07” fechando a prova em 3:34:50 no tempo líquido do meu GPS TomTom.
 
Os dois últimos kms foi onde eu acelerei mais, só queria terminar a prova e comemorar a conquista, liguei a GoPro e consegui gravar a reta final, a chegada que é sempre emocionante na Maratona do Rio, passar por aquele funil tem uma energia especial, são muitos amigos e muitos desconhecidos aplaudindo, apoiando, dando aquela força para todos os concluintes, é realmente algo muito forte e emocionante. Não importa o tempo de conclusão, a energia é a mesma, todos apoiando e incentivando, parabenizando o esforço de cada um dos concluintes da prova.
É uma festa, uma grande festa que farei o possível e o impossível de comparecer todos os anos enquanto eu tiver condições e o respeito e organização continuarem funcionando.
Parabéns Maratona do Rio por proporcionar essa experiência a tantos corredores, parabéns aos cariocas e não cariocas que estavam pelo percurso aplaudindo e apoiando.
Obrigado Rio de Janeiro, foi rápido, mas foi sensacional. O Rio de Janeiro continua lindo, e eu continuo levando chuva e não conhecendo o mar da cidade maravilhosa.
Mais uma conquista pessoal, mais uma medalha, mais uma história, mais uma maratona. Que venham muitos outros MAIS!
Confira abaixo o vídeo da minha chegada e obrigado a todos os amigos que chamaram o Colucci, o Aranha ou sei lá como, só sei que foi muito especial! Obrigado
  

E assim termina o relato dessa prova que os números mostram ser a maior e mais desejada das maratonas brasileiras.

Continuo na torcida para que São Paulo tenha uma maratona tão querida como essa, afinal a maioria dos inscritos na prova carioca é de paulistas. 

Meu agradecimento especial aos apoiadores que de alguma forma correram comigo e com Blog e Run essa prova:

Fisionoesporte, essa equipe me dá muitas broncas mas faz mágica. 
– In Press Media Guide/Spiridon/Dream Factory/Maratona do Rio;
GPS TomTom #TomTomCardioRunner ;
– Gatorade Brasil #OSuorFazMágica ;
– Água Minalba #CorredoresMinalba ;
– Oakley Brasil #OakleyBR
– Adidas Adios Boost e #RunBase #AdidasBrasil
– Meia de compressão personalizada homem aranha – Jacs Sports 
– FlipBelt #FlipBeltBR
– GoPro #GoProBR Hero4

Conheça e curta a PÁGINA #BLABLABLARUN com as entrevistas e vídeos já publicados.


Siga este BLOG – adicione seu email em “Cadastre seu Email Aqui” e receba as atualizações em primeira mão. 

Inscreva-se no NOVO CANAL BLABLABLARUN do  Youtube.

Curta a página do blog no facebook e fique por dentro de muito mais sobre corridas: fb.com/BlogeRun

Siga no Twitter@antoniocolucci e no Instagram @antoniocolucci_13                              

 #aisim Colucci13  
Twitter: @antoniocolucci   
Instagram:@antoniocolucci_13

Sobre Antonio Colucci

Um corredor que escreve, 'RunPorter' e Pai do Diego. Correndo desde 2004; Escrevendo desde 2007; Pai do Diego desde 2008; Maratonista desde 2009.

Veja também

Lançamento running FILA KT1

Novidade de final de ano para os corredores adicionarem na lista do papai noel. Conheça …

3 Comentários

  1. Parabéns Colucci. Vc é fera.
    Abs
    Jorge

Concorra inscrições de provas, camisetas e brindes.

Cadastre-se na nossa newsletter e saiba de tudo .

Obrigado! Foi enviado um email de confirmação para você.